Como uma cidade considerada Patrimônio Mundial da Humanidade, Colônia do Sacramento tem o seu maior tesouro na história. Grande parte da história do Uruguai começa com a história de Colônia, a cidade mais antiga do país e a que melhor conserva seus monumentos, alguns ainda em pé desde o século XVII.

O português Manuel Lobo fundou a Colônia do Sacramento em 1680 durante as constantes lutas entre Portugal e Espanha para o controle do Rio da Prata. Lobo, governador do Rio de Janeiro, foi confiado pelo príncipe Pedro II de Portugal para criar um bastião de defesa na costa do Rio da Prata. A península de San Gabriel, na qual se construiu a cidade, foi um ponto estratégico, já desde este ponto se exercia o controle sobre as entradas para os rios Uruguai e Paraná.

Desta forma, a “Nova Colônia do Sacramento” tornou-se a primeira colônia portuguesa na região, dando à cidade um caráter único entre as cidades rio-platenses, tanto em seu desenho urbano quanto em sua arquitetura. Em vez de extensa quadrícula espanhola, a cidade velha de Colônia preserva ruas estreitas, tipicamente portuguesas.

Foto Eli

A costa da área já era conhecida por vários navegadores (Vespúcio, Juan de Lisboa, Solís, Gaboto), mas foi com a fundação da Colônia que o Rio da Prata se abriu para o mundo, tornando-se o foco de disputas pelo poder. Desde suas origens, a história de Colônia foi marcada pelas batalhas entre as duas coroas, motivo pelo qual a chamavam de “la Manzana de la Discordia”, “la Gibraltar del Plata” y “la ciudad de la Pluma y de la Espada”.

Após quase um século de sucessivos conflitos, o Tratado de San Ildefonso em 1777 proclamou o domínio espanhol da cidade até as invasões portuguesas de 1820, quando a cidade foi integrada no Império Brasileiro. A Batalha de Ituzaingó de 1828 supôs a derrota dos portugueses e a anexação de Colônia à nova República do Uruguai, recentemente independente. A lendária Rua dos Suspiros, as relíquias do Convento de San Francisco, a emblemática Puerta de la Ciudadela e a misteriosa Casa del Virrey são alguns dos vestígios que foram preservados desde a época colonial.

Fonte: Viaje Colonia

Foto: Eli Sirlin